Texto Maior
Texto Maior
Texto Maior
Texto Menor
Texto Menor
Texto Normal
Texto Normal
Contraste
Contraste
Libras
Libras
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Acesso à informação
Acesso à informação

Águas de Lindóia, Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2019 Telefone (19) 3924-9300

Atendimento Atendimento: Segunda a Sexta-feira das 08:00h ás 12:00h e das 13:00h ás 17:00h

Quar
11/12
27 °C
21 °C
Índice UV
13.0
Quin
12/12
28 °C
21 °C
Índice UV
13.0
Sext
13/12
31 °C
23 °C
Índice UV
13.0
Sáb
14/12
31 °C
20 °C
Índice UV
13.0

Meio Ambiente e Agricultura - Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2018

Notícias por Categoria

Prefeitura vai recuperar mais de 7 mil m² de área degradada


Prefeitura vai recuperar mais de 7 mil m² de área degradada

Serão plantadas mais de 700 mudas de árvores de espécies nativas da Mata Atlântica

Com sanção do prefeito de um crédito especial no valor de R$ 605 mil nesta semana a Secretaria de Meio Ambiente vai colocar em prática o Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD) de mais de 7 mil m² do local conhecido como Cascalheira do Morro Pelado. Além de correções no solo e a adequação de taludes, mais de 700 mudas de árvores serão plantadas para recuperar o local.

O Plano prevê diversas medidas para reverter os danos causados no meio ambiente. Um levantamento apontou que a atividade causou a perda da camada superficial de solo, perda da biodiversidade e a falta de proteção do solo e o consequente aumento no deflúvio superficial e da erosão.

O PRAD prevê três passos importantes no processo de recuperação. O primeiro será o retaludamento – que é a correção da inclinação de declives causados pela extração – a condução adequada da água proveniente de chuvas e a revegetação do local.

Nos taludes serão realizados cortes nas partes mais elevadas, o que vai proporcionar uma regularização da superfície e a recomposição artificial das condições topográficas.

Para a revegetação serão utilizadas espécies nativas da Mata Atlântica. A maioria das mudas que serão plantadas são de 48 espécies pioneiras – aquelas consideradas mais resistentes – como Pata de Vaca, Embaúba, Jacarandás, Primaveras e Ipês brancos, amarelos e roxos. Também serão plantadas árvores de 32 espécies não pioneiras como Perobas, Angicos e Sibipirunas.

O Secretário de Meio Ambiente afirma que o plantio de diversas espécies nativas deve promover a melhoria das condições do solo, o aumento da biodiversidade e a melhoria das condições de escoamento da água da chuva. “Nosso objetivo é efetivar o Plano de Recuperação de modo a deixar a Cascalheira o mais próximo possível de seu estado natural”, conta o secretário.

Entenda o caso

Em 2005 o município de Águas de Lindoia foi notificado pelos órgãos ambientais sobre a extração ilegal de cascalho da área. Uma Ação Civil Pública chegou a ser protocolada pelo Ministério Público Federal (MPF) para exigir o reparo dos danos ambientais causados pela atividade. Estudos indicam que o volume de cascalho extraído do local é de 37 mil m³, o equivalente a 7,5 mil caminhões basculantes.

Após dez anos, em janeiro de 2015, um Termo de Compromisso e Ajustamento de Conduta foi assinado entre o MPF e a administração da época. No final de 2017 a atual administração conseguiu a aprovação do Plano pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e encaminhou para a Câmara Municipal um projeto de lei abrindo créditos orçamentários para a execução da obra.

FacebookTwitterWhatsAppImprimir

Voltar para a listagem de notícias

Águas de Lindóia Balneário Municipal

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ACOMPANHE-NOS

UNIDADES FISCAIS

Fique por dentro dos índices - ver todas

Nenhuma unidade fiscal cadastrada no momento!